As exposições de Leandro Erlich fazem-nos olhar duas vezes para o que está à frente dos nossos olhos. Será realidade o que estamos a ver? Ou uma ilusão? Em The Confines of the Great Void, a exposição do artista argentino de 46 anos que está patente no CAFA Art Museum, em Pequim, na China, Elrich constrói (e desconstrói) cenas do nosso quotidiano, nesta que é a sua maior instalação a solo até ao momento. Já dizia o ditado, quem anda à chuva molha-se, mas será que o mesmo se aplica a quem está submerso dentro de uma piscina? Veja as imagens.

 



Source link

NOTÍCIAS FINANCEIRAS
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *